Secretário Renato Feder fala sobre metas e desafios da Educação
11/07/2019 - 15:28

Em entrevista, o Secretário da Educação Renato Feder faz um balanço sobre as prioridades da área e os três grandes desafios da pasta: como melhorar a qualidade da educação; melhorar as condições de trabalho dos servidores e as condições de aprendizagem dos estudantes e garantir que os profissionais da Educação sejam reconhecidos e bem remunerados.

O senhor chegou ao Paraná com a missão de transformar a Educação do Paraná em referência nacional e elevar o IDEB. Qual será o caminho para atingir essa meta?

Secretário: A educação é uma prioridade do governo e um compromisso assumido pelo governador Ratinho Junior com a população do Paraná. A nossa principal meta é tornar a educação paranaense referência no país, levando o Paraná ao topo do Ideb. E como vamos fazer isso? Quando pensamos em educação, temos que pensar em boas aulas. E para termos boas aulas, precisamos que os profissionais da Educação estejam motivados e recebendo o apoio necessário da escola, da Secretaria e dos Núcleos de Educação. Estamos trabalhando para estarmos cada vez mais próximos das escolas, entendendo as dificuldades enfrentadas pelos nossos professores e oferecendo sugestões.

Só é possível melhorar os nossos índices educacionais com uma boa aula, e boa aula só se consegue com bons profissionais. Os profissionais da Educação do Paraná são muito bons. Eles precisam de reconhecimento quando estão indo bem e apoio nas salas mais desafiadoras.

Temos ainda uma série de projetos em fase inicial: estamos desenvolvendo ações para conter a evasão escolar e para garantir formação continuada de qualidade para os professores; estamos trabalhando na implementação de grandes programas, como a Prova Paraná, o Material Didático, o Conexão Professor, o Escola Segura e o Ganhando o Mundo, que é um programa do governador Ratinho Júnior para enviar nossos alunos para intercâmbios internacionais.

O orçamento da Educação para o ano de 2019 é de R$ 8,1 bilhões, sendo que 84% desse valor é destinado exclusivamente para o pagamento da folha salarial e 16% é destinado para as demais despesas, incluindo investimentos. Como garantir investimentos e a execução de ações e programas que trarão benefícios para a Educação?

Secretário: É uma equação complexa, um equilíbrio delicado que temos que buscar. A Secretaria trabalha para alcançar três grandes objetivos: melhorar a qualidade da educação que oferecemos; melhorar as condições de trabalho dos nossos servidores e as condições de aprendizagem dos nossos alunos e buscar garantir que nossos profissionais sejam bem remunerados.

No entanto, temos que fazer tudo isso sempre avaliando as condições fiscais, financeiras e legais do Estado. Hoje, os 16% do nosso orçamento que restam, descontados os gastos com a folha, são divididos entre Merenda, Transporte Escolar, Fundo Rotativo, obras de reparo e manutenção, além de todos os convênios Federais, projetos pedagógicos e programas da Secretaria.

Por isso precisamos ser cautelosos e responsáveis em relação às despesas, sob o risco de comprometer os investimentos tão necessários em infraestrutura e programas que vão beneficiar tanto alunos quanto profissionais da Educação.

Como estão as discussões sobre a database dos servidores?

Secretário: Com relação a qualquer alteração na folha salarial, o Governo do Paraná avalia as condições fiscais, financeiras e legais. Uma das decisões da equipe de gestão foi fazer uma auditoria na folha do funcionalismo para saber se todos os pagamentos atendem aos requisitos legais. O governo seguirá priorizando o diálogo com todos os servidores públicos.

Como tem sido o diálogo/relação com o sindicato dos professores?

Secretário: Tem sido ótima, com muito diálogo e uma atenção especial para demandas antigas dos profissionais da educação. A Secretaria trabalha para atender da melhor forma possível, mas é importante observar que temos as restrições orçamentárias que devemos obedecer. Dentro do que é factível, estamos priorizando os estudos para analisar a viabilidade de concurso para professores e funcionários e a realização de um novo formato para o PDE [Programa de Desenvolvimento Educacional]. Já foram selecionados 700 professores para aproveitamento de mestrado e doutorado por meio do PDE, o processo está em andamento. Estamos em constante diálogo com o sindicato para elaborar tudo isso.

Essa é uma marca da gestão: muito diálogo. Foi assim que conseguimos, já no primeiro encontro com o sindicato, atender a uma demanda importante da categoria sobre a distribuição de aula. Agora o professor não precisa esperar até janeiro para saber onde vai dar aula porque a partir desse ano a distribuição vai acontecer em novembro.  Assim o professor já sairá de férias sabendo como será o seu ano seguinte. E, no início do ano letivo, caso haja necessidade, haverá distribuição de aulas residuais de eventuais turmas que sejam consolidadas após este processo.

Um dos pedidos frequentes do magistério paranaense é oferta de cursos de Formação Continuada. Como esse tema está sendo tratado?

Resposta: A formação e atualização constante dos profissionais da educação é um tema para o qual vamos dar uma atenção especial. Já lançamos dois programas com o objetivo de promover uma formação mais dinâmica e participativa aos nossos professores que são o Conexão Professor e o Conexão Professor em Ação. O Conexão Professor incluí palestras semanais no formato de lives, disponibilizadas no canal da Secretaria no YouTube, de modo que profissionais de qualquer lugar do estado possam assistir, ao vivo ou depois quantas vezes quiser. As lives têm temáticas específicas referentes a cada disciplina e são programadas de acordo com a hora atividade concentrada, foi uma prova que encontramos de incentivar o professor a aproveitar sua hora atividade para formação.

Já o diferencial Conexão Professor em Ação é que o programa é presencial e tem formato descentralizado, distribuídas em oficinas disciplinares presenciais; estudo e planejamento e troca de experiências.

O que já foi feito pela Secretaria nesses primeiros meses de gestão? Quais as novidades que já foram colocadas em prática?

Secretário: Esses primeiros meses foram de trabalho intenso e muitas novidades que terão impacto direto na qualidade do ensino na rede estadual. São ações que vão facilitar a gestão escolar, proporcionando aos diretores meios para ajudar o professor a preparar uma aula que seja interessante para o aluno.

Um exemplo é a Prova Paraná. A primeira Prova a Secretaria aplicou para mais de 600 mil alunos da rede pública de ensino, tanto da estadual quanto das redes municipais, dentro do acordo de cooperação que fizemos com 397 municípios. A partir de agora, a Prova Paraná será feita a cada bimestre, para oferecer subsídios para que os professores possam saber com mais precisão como seus alunos estão aprendendo. É um programa fantástico, e a Secretaria conseguiu fornecer toda a estrutura necessária, desde os cadernos de prova até o aplicativo para correção imediata e geração dos resultados.

Também começamos a construção do Material de Apoio Didático do Paraná, que é um material pensado para os nossos profissionais e para os nossos alunos. Vamos desenvolver um material de qualidade, forte, que desenvolva outras competências e habilidades nos alunos. Na semana passada divulgamos a consulta pública que fizemos para saber o que os professores e os alunos esperam desse material, tivemos uma participação excelente e agora sabemos melhor qual material devemos fazer.

Outra ação muito bacana que já estamos colocando em prática é o Programa Escola Segura, com um policial da reserva na porta das escolas para proteger os funcionários e os alunos. Esse foi um compromisso assumido pelo governador Ratinho Junior. O programa começará com escolas de Londrina, Foz do Iguaçu e Região Metropolitana de Curitiba e depois será expandido para todo o estado gradualmente.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias